sexta-feira, 8 de outubro de 2021

(Conteúdo para Médicos) O jejum intermitente envolve intervalos de limitação da ingestão de alimentos por longos períodos de tempo.

Essa abordagem dietética pode ser usada para tentativas de perda de peso, para outros objetivos de saúde ou como parte de algumas práticas religiosas. Dietas populares de jejum intermitente envolvem alimentação diária com restrição de tempo (como 16-24 horas de jejum) ou jejum intermitente de dia inteiro em 2 a 4 dias (ou mais) por semana. Alguns regimes permitem uma ingestão calórica muito baixa (500-700 calorias por dia) em um dia de jejum.

O que acontece com o corpo humano durante períodos de jejum intermitente?

Após um período de jejum de 8 a 12 horas, o fígado começa a quebrar os ácidos graxos para produzir corpos cetônicos. O corpo humano usa corpos cetônicos como uma fonte alternativa de combustível para sustentar órgãos e tecidos vitais quando a fonte normal (glicose) não está disponível. Estudos mostraram que o jejum intermitente diminui os marcadores inflamatórios sanguíneos e melhora a regulação da glicose.

O jejum intermitente ajuda as pessoas a perder peso?

Estudos com duração entre 12 semanas e 12 meses não mostraram diferença na perda de peso quando o jejum intermitente é comparado com uma dieta diária com restrição calórica. No entanto, entre 27% e 40% desses participantes do estudo abandonaram o jejum intermitente, demonstrando o desafio de adesão a dietas de jejum intermitente.

O jejum intermitente melhora a saúde?

O jejum intermitente demonstrou resultar em diminuições na pressão arterial, frequência cardíaca em repouso, colesterol e triglicérides, glicose e insulina. Embora essas melhorias nos fatores de risco cardiovascular geralmente comecem dentro de 2 a 4 semanas após o início de uma dieta de jejum intermitente, elas se dissipam dentro de várias semanas após retomar uma dieta normal.

Riscos Potenciais e Efeitos Colaterais do Jejum Intermitente

Jejum intermitente pode produzir efeitos colaterais, incluindo fraqueza, fome, desidratação, dores de cabeça, dificuldade de concentração, pressão arterial baixa ou desmaios. Recomenda-se a discussão com um nutricionista antes de iniciar uma dieta de jejum intermitente para garantir que as necessidades nutricionais sejam atendidas. Jejum intermitente não é recomendado para mulheres grávidas ou lactantes, idosos frágeis, indivíduos com imunodeficiência ou aqueles com ou em risco de transtornos alimentares. Jejum intermitente pode ser perigoso para pacientes com diabetes devido ao aumento da probabilidade de hipoglicemia (baixo nível de açúcar no sangue). Pacientes com diabetes ou outras condições de saúde que estão pensando em tentar uma dieta de jejum intermitente devem discutir os potenciais benefícios e riscos com seu médico antes de começar.

“Compartilhar é se importar”
Instagram:@dr.albertodiasfilho
EndoNews: Lifelong Learning
Inciativa premiada no Prêmio Euro - Inovação na Saúde

Nenhum comentário:

Postar um comentário