sábado, 10 de janeiro de 2015

Álcool versus Ganho de massa magra


É raro uma semana em que algum paciente não faz a seguinte queixa: “- Dr, tem 1 ano que estou treinando corretamente e não vejo resultado”. Aí vc olha o recordatório alimentar de 7 dias do ser e lá tem:

- Cerveja, wisky, vinho...

Quase sempre no final de semana e em quantidades consideráveis.  

Assim não existe milagre. Abaixo um ótimo post do @fischerbruno explicando o porquê do álcool e hipertrofia serem incompatíveis quando a quantidade do consumo é alta.

“Eu já havia escrito um post falando sobre a influência que o álcool exerce no ganho de gordura, hoje o assunto é sobre o seu efeito na capacidade de hipertrofia.

Os hormônios possuem papel fundamental em diversos aspectos relacionados ao ganho de massa muscular, como por exemplo produção, uso e estoque de energia, manutenção do equilíbrio interno e desenvolvimento e crescimento tecidual (ex. músculos e tendões). O processo hipertrófico é completamente dependente de uma perfeita coordenação na função de determinadas glândulas e tecidos alvo, necessitando de uma perfeita sintonia entre a quantidade e momento de liberação. E o álcool afeta isso!!! Abaixo os principais pontos que a birita pode prejudicar os ganhos de hipertrofia:
- Reduz a capacidade do fígado em produzir glicose a partir da gliconeogênese o que pode comprometer a síntese protéica durante a recuperação muscular;
- A intoxicação por etanol e consequente formação de acetaldeídeo afeta negativamente a síntese protéica em taxas de 15-20% após 24 h do consumo;
- Compromete a habilidade da insulina e IGF-1 em reduzir o catabolismo muscular além de inibir a síntese protéica via eixo mTor;
- A miostatina, potente inibidor do crescimento muscular, pode ser aumentada após exposição ao etanol;
- Altas doses de etanol podem suprimir a produção de testosterona em 23% após 10-16 horas da ingestão, mas parece que essa diminuição é dose dependente. Altas doses (5-6 copos de cerveja) são necessárias para que essa supressão ocorra;
- Aumento considerável na produção de cortisol, que é um hormônio catabólico;
- É possível que o etanol afete negativamente a produção de hormônio do crescimento.

E aí? quer encher a cara de álcool ou ganhar massa muscular? Faça sua escolha!”


Fonte: Bianco et al. Alcohol consumption and hormonal alterations related to muscle hypertrophy: a review. Nutrition & Metabolism 2014, 11:26


Dr. Frederico Lobo (CRM-GO 13192 - CRM-DF 18620) - Ambientalista, médico, clínico geral e utiliza das estratégias ortomoleculares na sua prática clínica.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget