sábado, 12 de outubro de 2013

Medicamentos que aumentam o apetite, por Dr. Paulo Giorelli


Quais são esses medicamentos?

Resumo dos principais medicamentos que podem levar ao ganho de peso:

  • Os antidepressivos: esses medicamentos agem por meio de neurotransmissores e promovem o desejo de comer.  Pessoas que tomam este alguns antidepressivos costumam ganhar peso, e esse seria o fator pode favorecer o aparecimento de ligado ao diabetes tipo 2. Outra possibilidade é de que os antidepressivos tenham algum tipo de interferência no nível de açúcar no sangue. As conclusões foram publicadas na revista científica “Diabetes Care“.
  • Os neurolépticos: esses medicamentos também agem sobre os neurotransmissores e provocam uma verdadeira ‘’fome’’.
  • Alguns medicamentos podem aumentar o apetite para doces e carboidratos, por exemplo: Remeron (Mirtazapina, Menelat), Tryptanol (Amytril, Amitriptilina), Tolvon (Mianserina), Zyprexa (Ziprazidona), Orap, Tegretol (Carbamazepina), Trileptal (Oxcarbamazepina, Oleptal), Depakote (Ácido Valpróico, Depakene), Tofranil (Imipramina), Anafranil (Clomipramina).
  • Alguns outros podem provocar aumento de peso depois de muitos meses de uso, por exemplo: Paroxetina (Cebrilin, Aropax, Paxil CR, Aotin, Benepax), Ácido Valpróico (Depakene, Depakote), etc.
  • Os Ansiolíticos e Hipnóticos Benzodiazepínicos não provocam ganho de peso, por exemplo: Rivotril, Clonazepam, Valium, Diazepam, Lexotan, Somalium, Bromazepam, Lorax, Lorazepam, Olcadil, Noctal, Frontal, Apraz, Alprazolam, Dalmadorm, Dormonid, Rohypnol, Midazolam, Flurazepam, Flunitrazepam, etc.
  • Com Efexor (Venlafaxina, Venlaxin, Venlift) e Cymbalta o ganho de peso não é freqüente.
  • Lexapro, Exodus, Escitalopram, Cipramil, Citta, Maxapan, Citalopram, Zoloft, Tolrest, Sertralina não costumam provocar aumento de peso.
  • A pílula anticoncepicional, age pelo sistema hormonal. As pílulas que contém estrógeno são as pílulas mais propensas a levar ao ganho de peso, quando comparadas às aquelas que contêm progesterona (minipílula), porque o estrógeno promove a retenção de água, e portanto, leva ao ganho de peso. No caso de você ganhar peso com o uso da pílula clássica, pergunte ao seu médico quanto ao uso da minipílula ou de outras técnicas de contracepção (como ex. o anel contraceptivo).
  • Os corticóides como a Prednisona (um tipo de cortisona). Essa classe de medicamentos possui um forte efeito antiinflamatório, sendo muito utilizado contra diversas doenças inflamatórias como a artrite (incluindo a poliartrite reumatóide). Infelizmente o seu uso pode desencadear diversos efeitos secundários como o ganho de peso. Se esse for o seu caso, converse com seu médico sobre a possibilidade de mudar o tratamento, por exemplo, o uso de Antiinflamatórios não-esteroidais (AINES) ou outra classe de medicamentos. O corticóide é o vilão no ganho de peso. “Pacientes que tomam doses altas de corticóide por um tempo prolongado podem ganhar até 20kg em um ano
  • Os ansiolíticos e/ou antihistamínicos: os medicamentos à base de difenidramina podem levar ao ganho de peso, pois essa molécula possui um efeito sedativo que diminui o consumo de energia (diminuição do metabolismo). Consequentemente, o organismo irá queimar menos calorias, o que vai levar ao ganho de peso.
  • Podem promover ganho de peso: Medicações para o tratamento do diabetes do tipo 2 (insulina, sulfoniluréias, tiazolidinedionas ), 
  • Antihipertensivos (diuréticos tiazídicos, diuréticos de alça, bloquedores de canal de cálcio, beta bloqueadores).Entre os medicamentos para pressão arterial que podem gerar ganho de peso estão o metoprolol, o atenolol, o propranolol, a amlodipina e a clonidina.
  • Remédios para transtornos de humor também acarretam ganho de peso. Entre eles estão os antipsicóticos clozapina, olanzapina, risperidona e quetiapina. Além destes, o uso prolongado de sais de lítio, o ácido valpróico e a carbamazepina também pode engordar Em geral os antidepressivos mais antigos são mais propensos a causar ganho de peso do que os ISRS [inibidores seletivos da recaptação de serotonina].

Medicamentos orexígenos (aumentam o apetite)

  • Acetato de megestrol (AM) é um derivado sintético, ativado por via oral, do hormônio progesterona. Este é o medicamento mais estudado dentre os orexígenos. Pode induzir o apetite pela estimulação do neuropeptídeo-Y (NPY), presente no cérebro e secretado pelo hipotálamo, com capacidade de estimular o apetite; e pela inibição de citocinas pró-inflamatórias, como interleucina 1 (IL-1), IL-6 e fator de necrose tumoral-alfa (TNF-alfa). Tanto o NPY quanto as IL e o TNF podem levar à caquexia pela diminuição da ingestão alimentar direta ou por meio de mediadores anorexígenos, como leptina e serotonina. Os agentes corticosteróides incluem a prednisolona e a dexametasona. Seus mecanismos de ação envolvem a inibição da síntese ou da liberação de citocinas pró-inflamatórias, citadas acima. Ou seja, estimulam o consumo alimentar e diminuem o gasto de energia (1,2).


Eles podem atrapalhar uma dieta?

  • Sim!  Mas se o(s) medicamento(s) que estiver causando  aumento do apetite tiver sido prescrito pelo médico a substancia não deve ser interrompida a não ser que o médico que prescreveu autorize a interrupção do uso do medicamento




Autor: Dr. Paulo Giorelli - Médico, nutrólogo, presidente da ABRAN-Regional RJ. Diretor do Departamento de Obesidade e Síndrome Metabólica da Associação Brasileira de Nutrologia (ABRAN)

Fonte: http://abran.org.br/para-profissionais/medicamentos-que-aumentam-o-apetite/

Nenhum comentário:

Postar um comentário