sábado, 24 de agosto de 2013

Identificados fatores genéticos comuns ao alcoolismo e ao transtorno alimentar

Pessoas com dependência de álcool podem ser geneticamente mais suscetíveis a certos tipos de transtornos alimentares, e vice-versa, de acordo com estudo de pesquisadores da Washington University School of Medicine, nos EUA.

Na pesquisa, feita com cerca de 6 mil gêmeos adultos, os pesquisadores descobriram que fatores genéticos comuns parecem ser a base tanto para o alcoolismo quanto para certos sintomas de transtorno alimentar.

De acordo com os pesquisadores, os genes parecem explicar de 38 a 53% do risco de desenvolver estas doenças. "Isso reforça a ideia de que existem fatores genéticos comuns que contribuem para a dependência de álcool e para sintomas de transtorno alimentar", afirma a pesquisadora Melissa Munn-Chernoff.

Estudos anteriores haviam demonstrado que as mulheres que comem por compulsão têm taxas acima da média de problemas de uso de álcool. Elas ainda têm taxas mais elevadas do que as mulheres com outros tipos de transtornos alimentares. Mas não estava claro se os genes comuns poderiam ajudar a explicar a ligação.

Para o novo estudo, Munn-Chernoff e seus colegas usaram dados de 5.993 gêmeos australianos, idênticos e fraternos. Os gêmeos idênticos compartilham todos os seus genes, enquanto os gêmeos fraternos dividem cerca de metade, tornando-os mais semelhantes geneticamente do que irmãos não gêmeos.

Dos adultos avaliados, quase um quarto dos homens e 6% das mulheres já tinham sido dependentes de álcool. Quase 11% dos homens e 13% das mulheres já haviam tido um problema com a compulsão alimentar.

Em geral, a susceptibilidade genética pareceu ser a chave nas chances de desenvolver qualquer um dos transtornos. Além do mais, parecia que alguns dos mesmos fatores de risco genéticos que tornam as pessoas suscetíveis ao alcoolismo também as tornaram vulneráveis à compulsão alimentar.

Não está claro exatamente quais genes estão envolvidos. Por enquanto, os resultados enfatizam que a dependência de álcool e estes sintomas de transtorno alimentar compartilham algumas raízes comuns. "Nós precisamos estar cientes de que esses problemas podem ocorrer juntos, em ambos os homens e mulheres. Assim, quando os provedores de saúde virem alguém com um problema com a bebida, eles podem querer perguntar sobre sintomas de compulsão, ou vice-versa, algo que, neste momento, não é feito rotineiramente", destaca Munn-Chernoff.

Fonte: http://www.sissaude.com.br/sis/inicial.php?case=2&idnot=19258

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget