sábado, 6 de julho de 2013

Os "cubanos" que virão trabalhar no Brasil, já falam português

Leiam a ata da reunião do ministro traíra Padilha com os petistas cubanos e vejam a real finalidade de se trazer cubanos. Como já era de se esperar, não são apenas médicos cubanos e sim BRASILEIROS que foram incapazes de passar no vestibular aqui e foram pra Cuba cursar medicina. Posteriormente esses seres não conseguiram passar na prova de revalidação do diploma, por não terem capacitação suficiente. Inúmeros filhos de políticos brasileiros estão nessa leva de brasileiros que foram estudar em Cuba.


Foto da reunião que aconteceu no dia 26/06/2013 entre Padilha e os companheiros petistas Cubanos. A Ata da reunião deixa bem claro porque o caráter "emergencial" da importação de médicos.
Antes esses interesses ficavam velados, mas agora os verdadeiros interessados já começaram a mostrar as caras.

Leiam a Ata da reunião entre Padilha e a Associação Médica Nacional Maira Fachini

Apesar do horário da reunião ser convergente com o do jogo Brasil e Uruguai (Semifinal da Copa das Confederações, ocasião que Brasília parou literalmente), a reunião foi garantida pelo ministro sem qualquer prejuízo.

Envio um breve relato acerca dos pontos tratados durante a reunião:
Contextualização e Conjuntura da Revalidação Médica no Brasil e na atual gestão do Ministro Padilha: Avanços, Retrocessos, Desafios e Perspectivas.

O papel e a importância da AMN MF na construção das propostas e de conquistas vitoriosas para politica de revalidação médica no país como exemplo citaram as resoluções da XIV Conferencia Nacional de Saúde, e as experiências exitosas que possibilitaram a revalidação de centenas de médicos formados no exterior as quais precisam ser amplamente divulgadas para a sociedade brasileira.

Relação entre a AMN MF e Ministério da Saúde, principalmente com a área responsável de conduzir a politica de revalidação SEGETS, onde fizemos criticas construtivas contundentes e sugestões para seu melhoramento.

Apresentação de item por item e entrega da pauta da AMN MF ao ministro. (Detalhamento esta no manifesto da marcha).

Discorremos sobre a medida anunciada pela presidenta Dilma a respeito da importação de médicos. Colocamos claramente a necessidade de se trabalhar em duas frentes: Uma que já está em curso, que é a autorização especial provisória para o exercício profissional na atenção básica no interior do país e na periferia das grandes cidades por profissionais médicos estrangeiros ou brasileiros graduados no exterior em países que cumpram com o critério da Organização Mundial da Saúde que versa sobre a cooperação internacional em saúde.

A outra frente fundamental é não perder de vista o foco na politica estruturante, que é a do reconhecimento definitivo dos diplomas médicos no país, pois para consolidar conquistas nesta politica é necessário avançar na garantia de um processo de revalidação justo, isonômico, calibrado com a realidade de conhecimentos de um medico generalista recém-graduado no Brasil, amparado integralmente nas normativas da LDB e Resoluções do CNE que apontam para um processo de revalidação mais amplo com garantias de pareceres e direito à complementação.

Encaminhamentos Imediatos:
Conquistamos do ministro a garantia de que todos os médicos brasileiros formados em Cuba ou que tenham concluído seu curso no exterior, após devidamente registrados como profissionais de saúde no país de origem do titulo, desde que esse país cumpra com os critérios estabelecidos pela OMS que condiciona esta politica, poderão fazer parte do programa de importação de médicos do governo brasileiro denominado mais médicos.

Envio das considerações e propostas da AMN MF sobre o provimento, fixação de médicos no interior e periferias das grandes cidades do Brasil.

Gravações de vídeo-entrevistas do ministério da saúde com alguns médicos brasileiros graduados na ELAM já revalidados, sobre a inserção dos mesmos e o trabalho desenvolvido no SUS.

Necessidade da AMN MF mobilizar a sociedade civil e o conjunto da forças do campo democrático popular para defender e pressionar o congresso para aprovação da medida.(Já iniciamos esse trabalho em nível nacional o qual precisa ser ampliado nos estados)
At,
Wesley Caçador Soares.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Ocorreu um erro neste gadget